31 2552-4580       rodrigosilva@uol.com.br
Cirurgia robótica no tratamento da endometriose intestinal

Cirurgia robótica no tratamento da endometriose intestinal

Endometriose é uma doença caracterizada pelo crescimento do tecido que reveste a parte interior do útero para fora do órgão. Os fragmentos vão parar em estruturas vizinhas, como o intestino e o reto, por exemplo.

Durante o ciclo menstrual da mulher, esse tecido (chamado endométrio) cresce, preparando o útero para a implantação do embrião e o começo da gravidez. Caso a fecundação não aconteça, esse tecido irá descamar, o que caracteriza a menstruação.

Em mulheres com endometriose, os tecidos que vão para fora do útero se comportam como se ainda estivessem nele, ou seja: a cada ciclo menstrual, crescem e descamam, causando uma série de sintomas que podem impactar diretamente a qualidade de vida da paciente. 

Características da endometriose intestinal

Quando o endométrio cresce em partes do intestino e do reto, o funcionamento do órgão pode ser comprometido, causando alterações intestinais e dor abdominal intensa, em especial durante a menstruação.

A endometriose intestinal pode ser superficial, quando as células estão apenas na parte externa do intestino, ou profunda, quando penetram na parede do órgão. 

As causas da doença não são totalmente conhecidas e nem todas as mulheres que têm endometriose vão apresentar sintomas, mas os mais comuns na endometriose intestinal são:

  • Dificuldade para evacuar;
  • Dor na barriga durante a relação sexual;
  • Dor na parte inferior do abdome;
  • Diarreia persistente ou prisão de ventre;
  • Presença de sangue nas fezes.

Geralmente, esses sintomas se agravam durante a menstruação, mas podem, também, se apresentar em outro período do mês e serem confundidos com diferentes questões intestinais. 

Ou seja, a paciente pode acabar pensando que está apresentando sintomas normais de menstruação ou que possui alguma doença intestinal. 

Infelizmente a endometriose é uma doença de diagnóstico difícil. Segundo a Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva (SBE), o tempo médio para diagnosticar a doença é de aproximadamente 12 anos, e, sem o diagnóstico precoce, o acúmulo de endométrio no intestino pode comprometer seriamente parte do órgão. 

Tratamento para endometriose intestinal

Não existe cura para a endometriose. Os sintomas podem ser aliviados com o uso contínuo de anticoncepcionais que vão regular a atividade hormonal, barrando a ação do estrogênio e impedindo a menstruação. 

Em casos mais graves, em que o tecido endometrial já se espalhou significativamente por outros órgãos, o tratamento mais eficaz é a cirurgia, que pode ter como objetivo retirar o tecido do endométrio da parede do intestino ou remover todo o útero e ovários.

O primeiro procedimento, chamado de cirurgia conservadora, pode ser realizado por via aberta, laparoscópica ou robótica e, geralmente é indicado para mulheres que não responderam bem ao tratamento medicamentoso ou sofrem com infertilidade causada pela endometriose. 

Quando nem o tratamento com medicamentos ou a cirurgia conservadora foram suficientes para aliviar os sintomas da endometriose intestinal, pode ser necessário remover o útero ou ovários da paciente. Esse procedimento só é indicado quando a mulher já teve ou não quer ter filhos e é chamado de histerectomia. 

Cirurgia robótica para endometriose

Tanto a cirurgia aberta, por via laparoscópica ou robótica oferecem bons resultados no tratamento da endometriose intestinal.

Como o procedimento envolve, muitas vezes, a retirada do tecido intestinal afetado pelas células endométricas, essa cirurgia requer muita destreza por parte do profissional. Lesões nos nervos intestinais podem levar à incontinência fecal, por exemplo.

Nesse sentido, a cirurgia robótica é uma alternativa interessante porque oferece visão 3D em alta definição para o cirurgião, além da filtragem dos possíveis tremores nas mãos do médico, que opera sentado em posição ergonômica.  

Além disso, as incisões da cirurgia robótica são mínimas, enquanto num procedimento aberto o corte abdominal pode chegar a 15 centímetros, levando a um pós-operatório possivelmente mais lento e doloroso. 

A decisão do tratamento de endometriose envolve questões muito delicadas da saúde da mulher, como fertilidade e qualidade de vida. Portanto, o diagnóstico e acompanhamento da doença devem ser feitos com bastante transparência entre médico e paciente. 

 

Se você sofre de endometriose intestinal e tem alguma dúvida sobre o assunto, deixe um comentário aqui no blog. Será um prazer te ajudar. 

Fechar Menu
× Como posso te ajudar?