31 2552-4580       rodrigosilva@uol.com.br
Diverticulite: quando suspeitar

Diverticulite: quando suspeitar

Na medicina, o sufixo “ITE” se refere a uma doença inflamatória ou inflamação de um órgão, ou de uma parte do corpo. Por isso, é comum nos diagnósticos o médico relatar que o paciente apresenta uma pancreatite, estomatite, gastrite, diverticulite, dentre outras somente ligadas ao aparelho digestivo. 

Hoje vamos abordar uma dessas inflamações que ocorrem de forma muito comum no intestino grosso: a diverticulite. 

Divertículos: a origem do problema

Os divertículos são pequenas bolhas que se formam na parede do intestino, geralmente em áreas onde o tecido é mais fraco. É mais comum o aparecimento dessas bolhas em pessoas acima dos 40 anos, apesar de não se saber  exatamente o porquê. A presença de divertículos, conhecida como diverticulose, é comum e muitas vezes não causa problemas. No entanto, a inflamação ou infecção desses divertículos resulta em diverticulite.

O que é diverticulite?

A diverticulite é uma condição inflamatória do trato gastrointestinal que ocorre quando os divertículos formados na parede do intestino, tornam-se inflamadas ou infectadas. A condição é mais prevalente no intestino grosso (cólon) e pode variar de leve a grave.

Causas e fatores de risco

A causa exata da formação dos divertículos e sua subsequente inflamação não é claramente compreendida. Alguns especialistas acreditam que uma dieta pobre em fibras e um estilo de vida sedentário podem aumentar o risco de desenvolver diverticulite. Outros fatores de risco incluem envelhecimento, obesidade, tabagismo, e o uso de certos medicamentos, como anti-inflamatórios não esteroides.

Sintomas 

Os sintomas da diverticulite variam, mas os mais comuns incluem:

  • dor abdominal, frequentemente no lado esquerdo; 
  • febre;
  • náuseas; 
  • vômitos; 
  • alterações nos hábitos intestinais, como diarreia ou constipação. 

Em casos graves, pode ocorrer sangramento retal e a busca de ajuda médica é imprescindível. 

Diagnosticando a diverticulite

O diagnóstico é frequentemente feito com base nos sintomas, exame físico e exames complementares. 

Entre os principais exames solicitados pelo médico estão a tomografia computadorizada, que fornece imagens detalhadas do intestino e de outras estruturas abdominais. A TC pode identificar divertículos inflamados, abscessos e outras complicações. Exames de sangue, que apesar de não diagnosticarem diretamente a diverticulite, podem ser úteis para verificar sinais de infecção ou inflamação, como um aumento no número de leucócitos. Ultrassonografia abdominal, usada para visualizar o intestino e identificar inflamação ou outras anormalidades.

Tratamentos

Nos casos leves de diverticulite, o tratamento pode incluir repouso, dieta líquida ou baixa em fibras durante o surto, e antibióticos para tratar a infecção. A maioria dos casos leves podem ser tratados em casa.

Em casos mais graves, pode ser necessária a hospitalização. O tratamento pode incluir antibióticos intravenosos, drenagem de abscessos, e em alguns casos, cirurgia, especialmente se houver complicações como perfuração intestinal ou obstrução.

Uma dieta rica em fibras é recomendada tanto para a prevenção quanto para o tratamento da diverticulite. As fibras ajudam a manter as fezes macias e a diminuir a pressão dentro do intestino, reduzindo o risco de formação de divertículos e inflamação.

A Cirurgia para tratar a diverticulite

A cirurgia é geralmente reservada para pacientes com complicações da diverticulite ou para aqueles que experienciam surtos recorrentes que não respondem ao tratamento conservador. O procedimento envolve a remoção da parte afetada do intestino.

Possíveis complicações 

As complicações da diverticulite podem incluir formação de abscessos, perfuração intestinal, obstrução intestinal, fístulas e, em raros casos, peritonite (inflamação do revestimento abdominal). Estas complicações podem exigir tratamento cirúrgico.

Vale lembrar que apesar de a diverticulite ser uma doença relativamente comum, é uma condição que exige atenção e cuidados específicos. O diagnóstico preciso e o tratamento apropriado são essenciais para controlar a diverticulite e prevenir suas complicações. Portanto, se você apresenta sintomas ou tem fatores de risco para diverticulite, consulte um coloproctologista para aconselhamento e tratamento. Cuidar da saúde do seu intestino é um passo importante para manter uma boa qualidade de vida.

Fechar Menu