31 2552-4580       rodrigosilva@uol.com.br
Fístulas anais: quando o problema é perigoso?

Fístulas anais: quando o problema é perigoso?

As fístulas anais são canais que se formam entre o revestimento interno do ânus e a pele ao redor. Frequentemente, são resultado de uma infecção que começa na glândula anal e se espalha na região.

Podem causar desconforto significativo e interferir na qualidade de vida dos pacientes. Neste texto, vamos explorar em detalhes o que são fístulas anais, quando elas podem se tornar perigosas e os tipos de tratamentos.

Causas e Sintomas 

A principal causa de fístulas anais é a presença de um abscesso, uma cavidade cheia de pus provocado por infecção bacteriana. Outras fatores incluem doenças inflamatórias intestinais, como a doença de Crohn, traumas e cirurgias anais

Os sintomas comuns de uma fístula anal incluem:

– dor;

– desconforto ao sentar;

– inchaço ao redor do ânus;

– drenagem de pus ou sangue;

– irritação da pele na região anal. 

Em alguns casos, os pacientes podem apresentar também febre e mal-estar.

Mas, afinal, as fístulas são perigosas? 

Embora muitas fístulas anais não sejam inicialmente perigosas, elas podem levar a complicações sérias, se não tratadas. Infecções recorrentes, formação de abscessos e a propagação da infecção para outras áreas são riscos potenciais. Por isso, os sintomas devem ser sempre investigados por um coloproctologista.

O diagnóstico será feito por meio de exame físico e de imagem, como ultrassonografia, ressonância magnética ou colonoscopia.

Em pacientes com doenças inflamatórias intestinais, como a doença de Crohn, as fístulas anais podem ser um desafio particular. Nestes casos, o tratamento médico da doença inflamatória é crucial para prevenir a formação de novas fístulas.

Opções de tratamento

Cada caso de fístula anal é único e requer uma abordagem individualizada. O tratamento deve ser adaptado de acordo com a localização da fístula, sua complexidade, a presença de doenças subjacentes e a saúde geral do paciente.

A escolha do procedimento cirúrgico depende da complexidade da fístula e condições gerais do paciente. Novas tecnologias e técnicas cirúrgicas estão sendo desenvolvidas para tratar fístulas anais. Isso inclui abordagens menos invasivas e procedimentos que visam preservar a função anal.

Embora, geralmente eficazes e seguras, as cirurgias de fístula anal podem acarretar complicações como incontinência anal. Também pode haver recorrência da fístula e infecções.

Cuidados pós-operatórios

Após a cirurgia, os pacientes podem precisar de algumas semanas para se recuperarem completamente. Os cuidados incluem higiene adequada da área anal, uso de medicamentos para dor e, às vezes, uma terapia com antibióticos.

É importante também que o paciente faça um acompanhamento médico regular, para monitorar a cicatrização, verificar a presença de sinais de recorrência e gerenciar quaisquer complicações pós-operatórias. 

Embora nem todas as fístulas anais possam ser prevenidas, manter uma boa higiene anal, tratar prontamente os abscessos anais e controlar condições inflamatórias intestinais pode ajudar a reduzir o risco.

Fechar Menu